Ônus público e bônus privado. A realidade sobre as privatizações.

on sábado, 28 de dezembro de 2013
Eu planejava não postar nada antes de 2014, mas mudei de planos pois há um excesso de assuntos para serem tratados aqui ainda.

Quando se fala das privatizações temos logo dois pensamentos:
1) A esperança por melhorias, já que os nossos serviços públicos são constantemente sucateados.
2) Aqueles que questionam a privaitzação, falando até com justeza de que o serviço continua ruim e tudo o mais.

Ambas as linhas de pensamento esquecem completamente do lado mais bizarro das privatizações. Imagine você que vai haver uma festa, você compra um bolo para ser vendido nessa festa e ao chegar na festa descobre que apenas você está lá e será o único que vai consumir o bolo (e vai ter que comprar pois não há mais nada para ser comprado)... É isso que acontece com as nossas privatizações, o povo (através do governo) investe seu dinheiro nos meios de transporte para alcançar melhorias e alguém se encarrega de vender o serviço novamente para o próprio povo. (quem mais consumiria?)

Em 1998 os trens do RJ (FLUMITRENS) foram privatizados, porém o governo do Estado continua pagando pelas eventuais melhorias do péssimo serviço enquanto a SUPERVIA apenas recolhe os lucros.
Aquele blábláblá de que privado é melhor, em especial em setores que não tem como ter uma concorrência direta NA PRÁTICA (dizer que os trans concorrem com os ônibus é fantasioso e só poderia ser dito por quem não tem usa os transportes públicos do RJ), é pura conversa fiada pois as "melhorias" são feitas pelo próprio governo tal como se público ainda fosse.

Falta de vontade política é o que faz com que quando o transporte é público e qualquer eventual lucro/retorno seria do próprio governo ele não tenha dinheiro para investir, mas basta privatizar que no dia seguinte não falta dinheiro para fazer os empresários lucrarem enquanto o povo fica no prejuizo (perde o dinheiro dos impostos, tem tarifas aumentadas, serviço continua ruim, ...). Sendo algo tão estúpido e que gera tanto prejuízo para a população o que faz com que algum governo faça isso? Fica a dica...
http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,mulher-de-cabral-defende-concessionaria-do-estado,500569,0.htm

Mas não pensem que foi um caso isolado não... Olha aí acontecendo cada vez mais:
http://www.diariodopoder.com.br/noticias/galeao-foi-privatizado-mas-investimento-e-publico-2/

OBS.: Concessão (NA PRÁTICA) é privatização! Para entender melhor (e não cair no conto da turma governista): http://www.cartamaior.com.br/?/Coluna/Privatizacao-e-concessao-sutilezas-de-uma-falsa-polemica/26724

Por um Natal verdadeiro e um 2014 de luta por um mundo melhor!

on segunda-feira, 23 de dezembro de 2013
Prezados,
Ao longo dos próximos dias estarei demasiadamente envolvido com as comemorações de Natal e Ano Novo, sendo assim não sei se conseguirei postar algo por aqui. Sendo assim já deixarei minha mensagem de Natal e Ano Novo, mas uma mensagem diferente do blablabla que vemos muitas vezes.

O ano de 2013 foi um ano de muitas mudanças em minha vida em todos os aspectos e apesar de ter feito muito mais do que em 2012 ainda fico com a sensação de não ter feito o suficiente. (Aqui no Blog mesmo tenho uma fila de textos para terminar de montar antes de postar, inclusive sobre o paternalismo educacional e que tem total ligação com esse período final do ano...). Em 2014, SE DEUS QUISER, continuaremos aqui firmes e fortes.

Basta clicar na foto para conhecer a campanha "Natal começa com Cristo"

Costumamos ouvir, com toda a razão, que o Natal deve ser a lembrança do nascimento do pobre e perseguido menino Jesus (descendente do rei Davi, príncipe celeste que como é dito no hino Glória ao Deus Trino, "Coroa, trono, glórias tu deixaste") e que será a voz dos pobres e oprimidos pelo sistema político-religioso vigente. Concordo plenamente, os ensinamentos de Cristo são reconhecidos como elevados por diversas religiões (e até por muitos ateus que o consideram um bom filósofo), mas acho interessante também repensar no exemplo nos deixado por um grande servo de Cristo e que virou um símbolo do Natal moderno: 

"O Verdadeiro Papai Noel

Todos conhecem a estória do Papai Noel (ou Pai Natal em alguns países), porém poucos conhecem como surgiu essa lenda e, menos ainda, quem é a figura real que inspirou o personagem tão comum nos enfeites natalinos.

O Papai Noel nasceu ao longo do tempo, do poema escrito por um clérigo anglicano, o Revdo. Clement Clarke Moore, no poema “Um relato da visita de São Nicolau”, de onde surge a imagem do Papai Noel como conhecemos. o Revdo. Clement, havia escrito o poema para suas filhas e relutou em publicá-lo, porém, uma senhora que teve acesso e se encantou com o poema, o enviou para os jornais.

O Papai Noel foi inspirado em São Nicolau, bispo de Mira, que vivia para ajudar ao próximo, distribuiu sua herança entre os pobres e, entre os vários episódios que deram ao Papai Noel a ideia de alguém que vaga pela noite de Natal distribuindo presentes, um deles é especial: havia um comerciante falido que estava sem o dinheiro para o dote de suas 3 filhas e, no desespero, já as queria enviar para a prostituição. Para salvar as meninas deste fim, Nicolau jogou pela Janela da casa, 3 bolsas com o valor necessário para aquela família. 

São Nicolau foi preso e condenado à morte por ser cristão, sendo salvo pelo Édito de Milão, que tornou livre a prática do cristianismo no Império Romano. Chegou a participar do Concílio de Nicéia, que foi um dos mais importantes da história cristã.

Que Deus nos ajude a vivermos em caridade assim como São Nicolau viveu." por Morôni Azevedo de Vasconcellos publicado no boletim das Paróquias do Bom Jesus e Mediador (Igreja Episcopal Anglicana do Brasil) Ano 2, número 73 – 11 a 17 de dezembro de 2011.

E para 2014... 


Você ainda acredita na benevolência da indústria farmacêutica?

on terça-feira, 17 de dezembro de 2013
Quando ocorreu a invasão ao Instituto Royal logo vimos alguns querendo defender, em alguns momentos de forma ingênua e em outros de forma maldosa, que os cientistas não são monstros e que o questionamento sobre ética na ciência é coisa de fundamentalistas quase-religiosos (para repetir o termo utilizado pelo PCO que colocou os ativistas pelos direitos dos animais como defensores de uma ditadura religiosa).

De fato os cientistas não são monstros e nem por isso são santos, cientistas são seres humanos e como todos os outros estão sujeitos a venderem (ou não) seus princípios em troca de algum favor ou dinheiro, além do fato de que como outros seres humanos alguns cientistas podem sim ser psicopatas (embora esse último caso nem seja relevante para a questão aqui levantada).

Alguém tem dúvidas de que cientistas podem causar o mal se não estiverem amparados em fortes princípios éticos/morais? A Alemanha Nazista seria um bom exemplo de que a ciência, por ser naturalmente neutra, pode ser utilizada de forma muito ruim: http://www.muitointeressante.com.br/pq/perguntas/quais-foram-as-experiencias-feitas-pelos-medicos-nazistas-durante-a-ii-guerra-mundial

http://obscura.comunidades.net/index.php?pagina=1092916709

Sabe quem é esse simpático idoso? Josef Mengele um dos médicos nazistas que fez as mais absurdas experiências (ex.: trocar os olhos de gêmeos), tudo em nome do "progresso da ciência". Ciência sem ética = Ciência Nazista, mesmo que por vezes os cientistas em questão possam ser pessoas aparentemente boas.
Mas se você acha que lembrar a Alemanha Nazista é apelação (mesmo que contra fatos não possam existir argumentos), podemos lembrar dos médicos que ajudaram torturadores na ditadura militar brasileira e em diversas outras ditaduras colocando sua ciência para auxiliar a opressão.

Aliás, para quem quiser, vale lembrar o filme o Jardineiro Fiel que já denuncia um pouco dos abusos cometidos pela indústria farmacêutica.

Mas, chegando ao ponto chave, muitos educadores a muuuuitos anos vem denunciando o abuso de se diagnosticar crianças com TDAH (ou ás vezes até outras doenças) e entupir elas de medicamentos, crianças perfeitamente normais e por vezes apenas agitadas/bagunceiras ou simplesmente cansadas pela excessiva carga de atividades e ausência dos pais. Crianças normais que estão sendo DROGADAS para DEIXAREM DE SER CRIANÇAS, sim estas medicações em crianças podem atrapalhar o desenvolvimento e até a PERSONALIDADE. Mas o melhor é que o TDAH é uma fraude (maior do que a que já vinha sendo denunciada):

http://psicologia-ro.blogspot.com.br/2013/05/inventor-do-tdah-confessa-farsa-da.html

http://equilibrando.me/2013/05/19/um-outro-lado-do-tratamento-do-tdah/

http://ipitanga.com/blog/deficit-de-atencao-e-uma-doenca-ficticia/

Maaas para não dizerem que é mimimi esquerdista, faço questão de citar um notório site direitista:

http://www.midiasemmascara.org/artigos/ciencia/14768-pai-do-transtorno-de-deficit-de-atencao-se-declara-um-mentiroso.html

Exatamente, por conta dos interesses da indústria farmacêutica nossas crianças vão sofrer com sequelas graves pelo resto da vida e tudo para curar uma doença inventada pela mesma (e que se não fosse inventada pela mesma teria ao menos diagnósticos extremamente falsificáveis para atender aos interesses da mesma). Então você ainda acredita que cientistas não podem cometer absurdos apenas para defender interesses escusos?

OBS.: Vale lembrar que a ciência é por natureza neutra e pode ser usada para o bem ou para o mal dependendo de quem for usar a mesma. Justamente por isso precisamos reforçar os limites éticos da ciência para que ela seja usada de forma correta!

A maldita pornografia de vingança e o julgamento contra as vítimas...

on domingo, 15 de dezembro de 2013
            Faz pouco mais de um ano que escrevi um texto para o boletim da comunidade cristã onde eu congrego (ambas as paróquias citadas atualmente se fundiram na paróquia anglicana Bem-Aventurada Virgem Maria no bairro de Sulacap, Rio de Janeiro/RJ.) e obviamente o texto era mais voltado para o público cristão.
            Infelizmente hoje, quase um ano depois, já me deparei com mais um caso parecido (onde uma menina tinha seu perfil no face divulgado junto com um vídeo íntimo e debochavam dela por ela postar frases de filósofos consagrados e ter sido filmada, como se fazer sexo fosse algo detestável e/ou que torna alguém pior de alguma forma. O mais curioso é que os comentários contra a menina por ela fazer sexo são feitos por pessoas que NÃO SÃO CELIBATÁRIAS).

In loving memory of Amanda Todd. Rest In Peace.


"As lições de Amanda Todd para a Igreja

Temos visto nos noticiários algumas notícias sobre a jovem canadense Amanda Todd, de apenas 15 anos, que se suicidou após quase 3 anos de perseguição. Amanda era uma garota normal, porém vítima de uma tendência cada vez crescente entre jovens. Um dia ao cair numa besteira, aos 13 anos, tomada pelos elogios de um homem (que a elogiava exaustivamente), acabou exibindo os seios para ele por alguns segundos, o que seria seu calvário até à sua morte. Passado algum tempo começou a receber ameaças de alguém que conhecia todos os dados dela (nome, escola, endereço, nomes dos amigos, rotina): ou ela passava a fazer shows particulares para o mesmo ou ele espalharia para o mundo as imagens dos seios dela.
            Até aí seria apenas um maníaco agindo, porém o que veio a seguir foi pior. Ela simplesmente começou a ser excluída por todos, passou a ser julgada (ou melhor, condenada) diariamente por todos. Os "santos" defensores da moral e dos bons costumes não pararam para refletir sobre aquela vida, não, eles quiseram a agredir e humilhar de todas as formas. Ela passou a ter que ficar fugindo de escola em escola sem conseguir se enquadrar em local nenhum, pois até mudando de cidade em pouco tempo seu perseguidor conseguia disseminar tudo naquele local e ninguém a apoiava, não havia uma mão para se aproximar, para levantar a menina, pelo contrário ainda houve quem fingia se importar para se aproveitar sexualmente dela. Após chegar a sofrer inclusive agressões físicas, acabou se envolvendo com álcool e drogas, tentou algumas vezes o suicídio, porém ao invés de apoio ela recebeu inúmeras mensagens pela internet dizendo que ela deveria tentar tomar outro veneno melhor e que torciam para que ela morresse... Ela fez um vídeo no youtube com um pedido de socorro contando sua dor, ela tinha a esperança também de, talvez, ajudar alguém com aquela história (nem que fosse ela mesma)...
            Porém mesmo desabafando no vídeo sobre sua solidão ela só recebeu mais mensagens falando que ela era odiada e que ninguém a aceitava. Eis que um mês após o vídeo ela se enforcou. Um mártir da perseguição implacável de uma sociedade com valores trocados e que prefere esmagar uma garota de 15 anos por um erro do que ajudar, uma sociedade que se diz cristã, mas prefere tacar pedras ao invés de acolher.
            Mas afinal quais são as lições para a Igreja (que se quer ser fiel a Cristo deve ser um local para todos os sobrecarregados, para os que sofrem serem acolhidos)?
1) Vamos nos despir da maldade travestida de santidade. A santidade nunca pode gerar arrogância ou condenação, a santidade só pode ter como frutos: amor, paz, mansidão, … Não permitamos mais que as pessoas sejam excluídas e humilhadas por quaisquer motivos (etnia, orientação sexual, erros do passado etc). Se Jesus acolhe, o que exclui não é santidade e sim arrogância demoníaca.
2) Nenhuma doutrina pode superar o amor, mesmo que bíblica, ou cairemos na blasfêmia. Vale lembrar que São Paulo mesmo diz que entre a Fé, a Esperança e o Amor, o maior é o Amor. O Diabo usou de passagens das Escrituras para tentar Jesus e Jesus também repreendeu São João, quando ele queria castigar pessoas se baseando em uma passagem das escrituras.
3) A missão que Deus confiou a Igreja é a de salvar todas as pessoas. Falhamos em garantir que Amanda desfrutasse de vida e vida em abundância, porém existem muitas “Amandas” por aí.
4) Muitos diriam “Mas a Igreja estava lá pra consolar ela, ela que não quis ir.” Então, temos 2 problemas:í 1º O que tem feito com que nossas igrejas não sejam consideradas pelas pessoas um local de apoio mútuo? 2º Jesus disse “Ide” e não “sentai e esperai”. Devemos ficar de braços cruzados vendo o sofrimento alheio ou devemos nós mesmos correr atrás de ajudar aquela pessoa?

Que Deus em sua misericórdia nos perdoe por nossas falhas enquanto cristãos e receba em sua glória todos os que são martirizados diariamente por diversos tipos de perseguição." Por Morôni Azevedo de Vasconcellos, publicado no Boletim das Paróquias do Bom Jesus e Mediador (Igreja Episcopal Anglicana do Brasil) Ano 3, número 117 – 28 de outubro a 03 de novembro de 2012

Neste ponto reforço aqui todo o meu apoio ao deputado federal Romário (PSB-RJ) em sua luta para criminalizar a pornografia de vingança. Segue o link sobre a proposta:
http://www.romario.org/portfolio/all/pornografia-de-vinganca/


OBS.: A criminalização é MUITO importante, mas mais importante é a conscientização para evitar tais problemas. Assim sendo, espero que esse post possa iluminar alguém para que não cometa esta estúpida perseguição que acaba com a vida de muitas pessoas...

Nossos desastres NÃO SÃO NATURAIS!

on quarta-feira, 11 de dezembro de 2013
Todo o verão é a mesma coisa, a população sofrendo enquanto os nossos políticos (em sua total incompetência e descaso com a população) não tomam as medidas necessárias e tentam depois colocar a culpa na chuva, na natureza, ...

Não bastando isso eu tenho que ouvir uma coisa que dá vontade de rasgar meu diploma de graduação e pós em Geografia: "ahhh mas o prefeito não tem culpa, tem que reclamar com São Pedro ou com a Natureza pelas chuvas".


Embora não exista na teologia cristã nada que diga que São Pedro é quem faz chover, mesmo que ele fosse o responsável, como a chuva em si não é o problema nem ele e nem a natureza são responsáveis. Não temos desastres naturais, todos os desastres "naturais" que temos são consequência direta de ações humanas ou ao menos são reforçados pelas mesmas:

A urbanização por si só já traria vários problemas, mas sem preocupação com o impacto ambiental e sem a realização de medidas preventivas tudo só piora. Alagamentos, deslizamentos e tantos outros desastres "naturais" (sem falar nos desabamentos e outros tipos de desastres) são responsabilidade direta da falta de vontade de nossos governantes em tomar as medidas adequadas ANTES dos desastres e de realizar uma fiscalização adequada ao longo do ano... Aliás, eles gostam é de tentar se promover depois em cima da tragédia alheia:

Não PAESpalho, o povo precisa de um prefeito de verdade, coisa que você nunca foi, ANTES das tragédias ocorrerem para evitar que as mesmas aconteçam e não para depois fazer uma propaganda estúpida/cruel assim.

O povo não pode cair mais na conversa mole desses governantes, pois até o que não pode ser evitado pode ter os danos reduzidos e as pessoas podem ter a assistência necessária. Os prejuízos sofridos pelo povo e principalmente as vidas perdidas nesses desastres DEVEM SER COBRADAS DE NOSSOS GOVERNANTES!
"Somos um Rio" (Slogan do Governo PMDB) e "O Rio passa por aqui" (Slogan da Supervia) devem estar falando das inundações...

A população (com razão revoltada) tem ido para as ruas e agora os professores estão convocando um ato no Centro do Rio de Janeiro para protestar contra tudo isso... O ato será amanhã (12/12 ás 16h na Rio Branco), se é que as inundações não vão inviabilizar a manifestação, segue o link do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/339915419482162/?notif_t=plan_user_joined

Algumas fotos do que ocorreu (vale lembrar que Queimados e Nova Iguaçu quase sumiram do mapa e alguns ramais do trem ficaram impedidos completa ou parcialmente de funcionar):


Na foto o parlamentar juvenil da JSB-RJ (PSB) Luan Peixoto denunciando a situação de onde ele mora.

Por fim segue uma cartilha que pode ser útil e foi elaborada pelo deputado federal Glauber Braga (PSB-RJ):
http://www.glauberbraga.com.br/cartilha_prevencao


OBS.: Espero que nosso povo se lembre disso nas eleições, mas também no seu cotidiano, da importância das questões ambientais para a vida das pessoas (e que não são questões apenas para "hippies abraçadores de árvores" e sim para todos) e de uma ação efetiva no meio urbano para reduzir danos...

Alguns links sobre o assunto:
http://ambientes.ambientebrasil.com.br/agua/artigos_aguas_urbanas/enchentes_e_inundacoes.html
http://geografia.uol.com.br/geografia/mapas-demografia/25/artigo134975-1.asp
http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/mma10.htm

Aliás podem cobrar também do Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e da bancada ruralista pela alteração no código florestal que contribui muito para novos desastres (que depois vão querer chamar de "naturais"):
http://www12.senado.gov.br/codigoflorestal/news/estudo-ocupacao-de-apps-aumenta-mortes-em-enchentes-e-deslizamentos

A minha proposta de reforma política.

on segunda-feira, 9 de dezembro de 2013
Até as eleições de 2014 não pararemos de ouvir falar sobre Reforma Política, o que é vital, porém não existe apenas uma proposta de reforma política e assim sendo eu vou colocar alguns pontos que eu considero importantes e outros que eu rejeito.

  • Coligações eleitorais e tempo de televisão:
Facilmente podemos entender como coerente uma coligação para eleger um líder do executivo, já que este será um nome de consenso da sociedade, porém uma coligação para eleições legislativas (em especial as proporcionais) é de uma total incoerência, seria quase uma fusão partidária, já que estaria dizendo que ambos os partidos não tem nenhuma diferença em seus programas/causas... Proibir imediatamente coligações nas eleições proporcionais (e talvez também na para o Senado) é algo vital para reduzir as legendas de aluguel e sublegendas...

Já nas eleições em que seriam permitidas coligações, elas não devem transferir o tempo de televisão para evitar justamente uma "covardia eleitoral" com um partido grande se utilizando de inúmeras sublegendas e legendas de aluguel para monopolizar o horário eleitoral. Aliás a distribuição de tempo nessas eleições deve ser mais igualitária.

  • Eleições nacionais para deputados:
Sabem qual a diferença de um senador e um deputado federal? O senador representa o seu Estado de origem na União e o deputado federal representa o povo. Se temos essa divisão se torna incoerente o modelo de eleição atual para deputados federais, eles deveriam ser eleitos em eleição nacional tal como o presidente e deveriam não ser divididos por bancadas de Estados. Assim, eu sendo do RJ posso eleger um deputado originário da PB por maior identidade com seu programa já que o deputado federal deve pensar no povo brasileiro como um todo! Naturalmente, a tendência seria que os Estados com maior população tenham mais deputados, porém se a população daquele Estado se sentir mais representada por algum político de outro Estado poderá optar livremente por isso.

As eleições nacionais para deputado federal permitiriam campanhas mais sérias, econômicas, democráticas e reforçaria o papel diferenciado do Senado e da Câmara.

  • Fidelidade IDEOLÓGICA/PROGRAMÁTICA
Falamos muito sobre fidelidade partidária, e ela é justa, mas e quando o partido não é fiel ao seu programa?* A fidelidade ideológica/programática obrigaria os partidos a cumprirem o seu programa/manifesto registrados e caso um partido esteja cumprindo o que ele se propõe como justificativa para a sua existência o partido poderia ser punido de diversas formas:  multas, permissão para parlamentares trocarem de partido sem perda do mandato, derrubada de direções e em casos extremos até o fechamento do partido. Agora para isso deve ser exigido um programa claro e que diferencie um partido dos demais. O candidato também deverá registrar um programa para seu mandato que se não for cumprido acarretará em penalizações e o partido após ter aceitado que ele se candidate com aquele programa não poderá se opor ao mesmo programa. (Obs.: Caso haja contradição entre o programa do partido e do candidato isso deverá ser resolvido ou a candidatura poderá ser impugnada).

* Por uma questão de coerência não caberia a um partido que se diz contra as eleições participar das mesmas.

  • Sistema eleitoral
Rejeito radicalmente o voto distrital por entender que ele só facilita o voto de cabresto (e fazendo com que os problemas gerais da cidade/estado/país sejam substituídos pelos supostos interesses locais), assim como o voto facultativo na atual conjuntura política só afastaria os que não vendem seu voto. Apoio o atual sistema de coeficiente eleitoral em lista aberta onde o voto primeiro vai para o programa que o candidato defende (partido) e depois as cadeiras do partido são distribuídas por ordem de votação, o que permite representatividade para as correntes internas dos partidos e torna todo o voto útil pois ao votar em um candidato você sabe que seu voto se não conseguir eleger seu candidato ajudará a eleger um que pense igual a ele ou de modo parecido. Acho o sistema de lista fechada sedutor, porém creio que no Brasil ele não funcionaria perfeitamente.

  • Partidos
Creio que a questão de criação e manutenção de partidos deve ser pensada. Por um lado não devemos boicotar setores minoritários do acesso a política e a possibilidade de crescimento, por outro lado a existência de inúmeras legendas sem sentido (seja por falta de programa ou por falta de representatividade popular) nos faz pensar como equacionar isso. No atual momento creio que a fidelidade programática/ideológica já ira ajudar muito nisso.

  • Urnas eletrônicas + votos impressos
Com tantas suspeitas sobre fraudes nas urnas eletrônicas é necessário que haja uma possibilidade de recontagem de votos para conferir se a votação eletrônica está correta. Vale lembrar que os votos impressos devem ser depositados na hora e sem qualquer tipo de recibo para evitar votos de cabresto.

  • Eleições para o judiciário
Sim, algo importante seria que o judiciário (evidentemente exigindo ainda a formação que hoje exige) também tivesse mandatos e fosse eleito por voto popular e pudesse ser derrubado por voto popular em todos os níveis. Só essa reforma pode diminuir a corrupção no judiciário e acabar com as indicações políticas para o mesmo.

  • Remuneração e Previdência
Vereadores não devem ser remunerados e as reuniões da câmara devem ser realizadas na parte da noite para que os mesmos possam trabalhar em seus ofícios e ainda manter as atividades na câmara, que embora voluntárias continuariam com o mesmo nível de cobrança ou até maior pois um vereador que tem que exercer sua profissão ainda tem que encarar as dificuldades da população diariamente e receber cobranças até dos colegas constantemente. As verbas de gabinete/assessoria necessárias para a atividade parlamentar seriam mantidas mas cortando abusos evidentemente.

Para os demais cargos políticos vejo duas opções plausíveis e que devem ser acompanhadas da eliminação de todo e qualquer privilégio previdenciário:
1) Que a remuneração seja equivalente a sua remuneração profissional anterior até um determinado teto. Ex.: Um professor que se candidate e seja eleito vai continuar recebendo o equivalente ao seu salário tal como se não tivesse sido eleito.
2) Indexar a remuneração com o salário mínimo e colocar um teto baixo para o mesmo.

  • Financiamento exclusivamente público de campanhas
Muitos ficam dizendo: "ahhh mas o governo vai ficar pagando para cada um tentar a sorte?" Primeiro que o debate político é vital para a manutenção da democracia (além de ser extremamente educativo) e logo é plenamente plausível que o governo arque com os custos. O financiamento privado de campanhas é a porta para a corrupção, pois a sociedade depois vai pagar um preço muito maior que é o de ficar submissa aos interesses dos patrocinadores das campanhas. Também o financiamento privado torna as eleições menos democráticas, pois quem tiver mais dinheiro praticamente vai levar as mesmas.

  • Uso exclusivo de serviços públicos
Menores sob a guarda de político, no exercício do mandato, devem obrigatoriamente estudar em escolas públicas de ensino. É obrigatório o uso exclusivo da rede pública de saúde para quem esteja exercendo mandato político. Não é justo que quem possa mudar a qualidade dos serviços públicos seja justamente quem não os usa.

É evidente que esse é o modelo que considero ideal, mas isso deve ser debatido com a sociedade! Aliás muitas coisas ainda devem ser DEBATIDAS (parlamentarismo/presidencialismo, reeleições, duração dos mandatos, escolaridade mínima, ...).

Uma excelente iniciativa (que deveria ser reproduzida por outros partidos/candidatos) foi elaborada pelo PSB-REDE: Um programa de governo construído comunitariamente por todos os cidadãos e que convido para que todos colaborem com ele independente de qual for a sua preferência política/partidária (vale até para os que não nutrem nenhuma simpatia pelo PSB-REDE já que esse é um programa para o BRASIL)...


Mandela: O legado do humano, mas exemplar, socialista cristão.

on domingo, 8 de dezembro de 2013
Em função de minhas atividades pessoais este post está chegando com um atraso, mas antes tarde do que nunca.

Cartaz reacionário pedia o enforcamento de Mandela e do seu partido.


Nelson Mandela, como todos os que querem mudar alguma coisa, sofreu inúmeras acusações e não raro foi os "defensores da paz e estabilidade" clamavam pelo seu enforcamento por terrorismo. (quem era o terrorista mesmo?). Mandela um cristão militante e SOCIALISTA (Seu partido o Congresso Nacional Africano - CNA é membro da Internacional Socialista) passou 30 anos na cadeia (coisa que no Brasil é considerada pouca pois alguns grupos reacionários clamam pela pena de morte, talvez para tentarem matar alguns opositores como os reacionários sul-africanos faziam).


A luta de Mandela sempre contou com o apoio do Arcebispo Anglicano Desmond Tutu (http://noticias.terra.com.br/mundo/africa/nelson-mandela/mandela-nos-ensinou-a-uniao-diz-arcebispo-desmond-tutu,eff16350c0eb2410VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html), união essa que continua até a passagem de Mandela da Igreja Militante para a Igreja Triunfante (http://oglobo.globo.com/mundo/desmond-tutu-celebra-missa-para-mandela-10988076)... Mandela que era acusado de ser terrorista foi quem promoveu o combate a injustiça, mas promovendo a reconciliação posterior entre ex-opressores e ex-oprimidos que passaram a ser irmãos em situação de igualdade (aliás é isso que a expressão de "odiar o pecado e amar o pecador" quer dizer e não a balela defendida hoje pela bancada "evangélica").

Mandela que provou que combater a injustiça é libertar até o opressor de sua prática socialmente pecaminosa e estabelecer a paz e a justiça.

Mandela que provou que socialismo se faz com democracia e não com ditadura.

Mandela que trouxe a importância da defesa dos direitos humanos.

Mandela que como todos os outros humanos teve seus erros, mas que sua luta por um país que viva uma real paz que só pode existir com Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Mandela que mostrou que cristão deve estar na política para defender os necessitados e semear a reconciliação e não para espalhar ódios e fazer a blasfema oração pela propina.

É evidente que a África do Sul ainda precisa melhorar e muito, e o próprio CNA também precisa se realinhar (um reavivamento socialista democrático?), mas os avanços são inegáveis e de uma sociedade racista e autoritária para uma sociedade democrática, reconciliada e combatendo as desigualdades, mas que precisa ter a busca por melhorias populares sempre presente. (Aliás Desmond Tutu sempre nos lembrou disso)

E agora? Agora nos resta seguir os bons exemplos dos que se foram como Mandela e dos que ficam como Desmond Tutu. POR LIBERDADE, IGUALDADE E FRATERNIDADE! PAZ E SOCIALISMO DEMOCRÁTICO




Uma aula para o PCO sobre esquerda, socialismo e direitos dos animais.

on segunda-feira, 2 de dezembro de 2013
**** TEXTO CENSURADO PELO PCO ****

Já diziam que pior do que a ignorância é a informação errada e/ou perversamente manipulada, e neste ponto a publicação "Causa Operária" mantida pelo PCO mantém pouca diferença da Revista Veja em sua ênfase agressiva, manipuladora, alienante, "dona da verdade" e por opinião pessoal minha completamente idiota. Segue o infeliz texto:

http://www.pco.org.br/editorial/direitos-dos-animais-ou-repressao-a-populacao/azap,b.html

O PCO mais uma vez escreve dentro de sua velha tática de atacar até os próprios socialistas, aliás em seus devaneios todos que não são do PCO são instrumentos da burguesia. Uma visão auto-idolátrica, ególatra, que distorce até o que é o socialismo e a esquerda. Apenas mais do mesmo quando pensamos que no passado os marxistas falavam a mesma coisa da causa LGBT (que nunca teve apoio de Marx e nem dos primeiros marxistas). Por miopia ou desonestidade intelectual não percebem que ao lutar contra bandeiras específicas estão apenas defendendo o sistema desumanizador que ataca LGBTs, negros, mulheres e outros trabalhadores, mas também ataca os animais, aliás os interesses econômicos dos poderosos sempre atacam os direitos dos mais vulneráveis.

Vamos analisar o artigo:

"É nítido que a burguesia e a direita nacional estão aproveitando a campanha de determinados grupos da sociedade, ambientais, em “defesa dos animais” etc, para aumentar a repressão contra a população."
Interessante, então a burguesia está incentivando uma campanha contra ela mesma? Quem sofreu com a invasão ao Instituto Royal, campanhas contra rodeios/vaquejadas, campanhas contra pecuaristas, entre outros? A burguesia!
Qual a repressão que atacou o trabalhador? Nenhuma... Aliás o PCO passa o artigo todo falando sobre sem demonstrar na prática quais foram os casos....

"Existem projetos para aumentar as penas para quem maltrata animais. Em outubro, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou em primeira votação um projeto de lei que “proíbe a produção e a comercialização de foie gras (patê de fígado gordo de ganso, iguaria da culinária francesa) e artigos de vestuário feitos com pele animal no âmbito da cidade de São Paulo.”
O PCO, como de costume, se contradiz... Diz que a burguesia está usando a causa animal contra a população e só dá exemplos de coisas que a maioria da população não tem acesso? Aliás o PCO, se deseja defender que maltratar animais é um direito, pare de inventar desculpas esfarrapadas e assuma (o que é difícil já que o PCO tenta disfarçar sua falta de representatividade junto ao povo com o papinho de "não acreditar em eleições" e ainda continuar participando delas)...

"A direita e a burguesia querem transformar o Brasil num Estado religioso, como os Mulçumanos, nos quais se proíbe, por exemplo, a comercialização e consumo da carne de porco, independente da vontade de cada um. São proibições por meros valores morais, e isso é exatamente o que caracterisa um Estado religioso. Se eu acho que o boi sofre no abate, então isso justifica a proibição de carnes e assim por diante."
Essa misturada, que fere completamente qualquer bom senso, me faz pensar se o PCO estaria largando o Socialismo e defendendo o minarquismo ou o anarco-capitalismo já que para eles o Estado não deve regular nada...Em breve na Veja você verá o PCO anunciando a fusão com o NOVO e o LIBER ou adotando um novo slogan para as eleições de 2014: "Quem bate cartão, acha o Aécio bão".

Sobre proibições por valores morais, sem querer ser chato, mas TODAS AS PROIBIÇÕES LEGAIS TEM UM FUNDO MORAL (ex.: ser proibido matar, roubar, estuprar, corromper, escravizar, destruir, agredir, sequestrar e etc). Pode parecer piada, mas eu me senti lendo um texto de um liberal extremado e não de um marxista no jornal do PCO...

"São leis que servem apenas para aumentar a repressão. Nessa semana, um vídeo circulou na internet com um mulher que teria abandonado o cachorro na rua. O resultado da “comoção” causada pelo vídeo foi que a mulher perdeu o emprego e foi obrigada a mudar de bairro e será indiciada por maus-tratos ao animal. Quer dizer, colocaram em prática uma caça às bruxas por conta do abandono de um cachorro. Agora, qual saída tinha a mulher? O cachorro teria ficado agressivo e ela não soube o que fazer. É bom lembrar que existem penas também por deixar o cachorro preso, bem como penas por deixar o cachorro solto e este atacar alguém. Não tem muito para onde correr. Sem condições de consertar a situação, ela optou por abandonar o cachorro. Não maltratou, não matou. Abandonou na esperança de que outro pudesse cuidasse dele."
HAUAHUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUAHUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHAUAHUAHUAHUA o redator do PCO tem futuro no humor...
Conta-se uma história "triste" para comover o leitor, ignorando a realidade dos fatos, não duvide se o PCO escrever depois contra a criminalização da pornografia de vingança alegando que o pobre coitado que divulgou fotos íntimas da ex agora está exposto ao ridículo, sem amigos, incapaz de se relacionar novamente e com risco de ser preso. Ligar abandono com agressividade do animal é absurdo, aliás a agressividade já é fruto de descaso ou até algo mais grave. Mas, supondo que eu compre o peixe podre que o PCO quer vender... Bem, ela procurou ajuda? Foi ao veterinário? Quais atitudes efetivas ela tomou para evitar e remediar isso? Se o redator do PCO fosse escrever a defesa do ex-goleiro Bruno ia dizer que ele matou a mãe de seu filho para proteger a criança. E para sujar tudo de vez, termina ignorando que abandonar é maltratar e que se ela não conseguiu resolver colocou um suposto risco nas ruas (já que o redator alega que o cão era agressivo, então se deixaria ele solto para atacar qualquer um?) e ainda um anjo poderia resolver. (Afinal se a tutora que conviveu com o cachorro o tempo todo e foi responsável direta pela criação do mesmo não resolveu, vai ser jogado na rua o cão e alguém milagrosamente vai passar na hora H e resolver tudo... Aos estudiosos de angeologia que estiverem lendo peço que nos comentários coloquem se isso seria um trabalho pra São Miguel, São Rafael ou São Gabriel. Acho que seria São Rafael por ser relacionado com a cura...)

"O clima de histeria em relação a problemas como esse, histeria essa promovida pela própria imprensa burguesa, é um sinal da tendência a um Estado religioso, ou seja, baseado em leis morais." 
Bem, tirando que não existe Estado que não seja baseado em leis morais (nem mesmo um Estado socialista) e tirando que a imprensa tem noticiado CONTRA os ativistas (vide o caso do Instituto Royal), só me resta dizer que essa comparação com um "Estado religioso" é tão absurda (é tanta vontade de forçar a barra) e tão oportunista que nem merece ser comentada. (Oportunista por tentar se manipular a discussão sobre Estado laico para algo que nada tem a ver.)

"Os latifundiários estão livres, os donos de grandes indústrias também. As leis não são para os capitalistas, são para os indivíduos, e portanto, puramente repressivas."
Estão livres pois tem gente que ao invés de apoiar a causa dos ativistas está é lutando contra eles e defendendo justamente esses daí, né PCO? Aliás, embora pareça novidade para o PCO, os capitalistas também são indivíduos e logo leis para indivíduos servirão para eles...

"É uma maneira de encurralar ainda mais os cidadãos, que ficam cada vez mais à mercê do Estado. Não esqueçamos das detenções de mães porque os filhos não estão indo regularmente à escola ou simplesmente porque os filhos sofreram acidentes."
E aí PCO? Qual vai ser o nome do partido ultraliberal/anarcocapitalista que nascerá da fusão do PCO-LIBER-NOVO?

"E, obviamente, a maior parte da repressão se dá contra as pessoas mais pobres, que tem maior dificuldade de se manter dentro de todas as regras impostas."
Esse argumento é o mais falacioso, afinal ignora que são os poderosos que não querem cumprir a lei, e abre brecha para os argumentos estúpidos do passado de que o fim da escravidão era ruim pois o pequeno produtor é que sofreria por não ter como pagar salários e outros absurdos que foram inventados com a mesma finalidade de defender o opressor e fingir que está defendendo o oprimido.

PCO... Titio vai explicar só uma vez:
  • Antes de criticar qualquer grupo, seja honesto e siga os seus ideais, abandone o sistema eleitoral e pare de querer sugar o fundo partidário.
  • Os ataques contra os seres humanos e contra os animais tem a mesma fonte, o sistema desumanizador em que vivemos.
  • Você não é dono da esquerda e nem do socialismo.
  • Pare de defender o opressor e passe para a luta em favor do oprimido.
  • Pare se contradizer, se for para defender o Black Bloc contra o PSTU, lembre-se que ele tem ajudado os ativistas pelos animais em algumas manifestações.

A farra das homenagens...

on terça-feira, 26 de novembro de 2013
Uma questão por vezes esquecida, mas que demonstra o mal uso da máquina pública, é a farra das homenagens... Sim, parlamentares que usam do tempo e dinheiro que deveria ser dedicado ao bem público para homenagens abomináveis:

Marcelo Piuí (PHS-RJ) homenageia salão de beleza nos EUA:
http://extra.globo.com/noticias/rio/vereador-do-rio-apresenta-mocao-para-homenagear-salao-de-beleza-nos-eua-1801460.html

Roberto Jefferson (PTB-RJ) foi indicado por ter participado de um dos mais famosos esquemas de corrupção da atualidade e depois de ter sido pego denunciado tudo... Oi? Medalha por crimes? Aliás foi apresentada pela filha Cristiane Brasil (PTB-RJ):
http://www.parana-online.com.br/editoria/especiais/news/135968/

O filho do (des)governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ) que nunca fez nada de útil para a sociedade, agora está colecionando medalhas cunhadas com dinheiro público e uma delas dada pelo Tiago Pampolha (PSD-RJ):
http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/felipe-patury/noticia/2013/07/bos-titulos-da-dinastia-cabralb-filho-do-governador-coleciona-medalhas.html

Tem gente até como Dinis Pinheiro (PSDB-MG), que não se contentando em homenagear figuras no mínimo questionáveis, resolveu se homenagear...
http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/mg/presidente-da-assembleia-de-minas-da-medalha-a-si-mesmo/n1597363394194.html

Algumas medalhas inúteis assustam pelo valor... (Corrigindo a reportagem se trata do DECRETO 51.061/61 e não Decreto-Lei 51.061/61)
http://www.ammp.org.br/institucional/mostrar-noticias/pagina/2/noticia/7578

Vale ressaltar que existem homenagens que são justas e benéficas, servindo para incentivar a prática de boas ações na sociedade, porém infelizmente não é o caso das homenagens anteriormente citadas e de muitas outras que eu nem saberia citar.

A culpa é do professor? Eles não sabem o que falam...

on terça-feira, 19 de novembro de 2013
É...
Por 2 vezes* eu já abordei aqui no blog um pouco do tema, mas agora precisarei me aprofundar um pouquinho mais...

Existe uma cultura de colocar o professor como culpado por todas as mazelas do mundo. Alguns textos demagógicos (travestidos de pedagógicos) nos fazem até pensar que o mundo seria melhor sem professores, que segundo tais textos são seres sádicos que enfrentam as piores condições de trabalho no serviço público sem retorno e nem reconhecimento apenas para atrasar o país.

Não estão acreditando? Se prepare:
http://www.jogodopoder.com/blog/politica/brasil-reprovado-o-custo-do-atraso-escolar/

O texto acima é o típico texto em que as demandas do povo ficam em segundo plano e o mais importante é o corte de gastos... Mas para evitar injustiças vamos analisar o texto:

  • Ele foi escrito para um jornal de economia e não para um veículo pedagógico (onde facilmente seria ridicularizado por educadores sérios), logo já vemos qual é a prioridade do texto: capital sobre o social...
  • Foi escrito por um presidente de uma ONG que tem projetos com um teor tão tecnicista não parecem ter sido feitos por ninguém da área da educação,  aliás logo na página principal do site eles se usam como referência o Sr. Richard Murnane da Universidade de Harvard que ao olhar no site da própria Harvard descobri que ele é um ECONOMISTA! E a fórmula + dinheiro - educação continua...
  • O texto começa tirando vários números da cartola e fazendo vários cálculos sem demonstrar exatamente como ocorre e qual a base disso tudo. Tem tudo para ser facilmente manipulado! Sem falar que o texto é escrito de uma forma maldosa na sua relação entre número de professores contratados e ineficiência, número de sala de aulas e ineficiência. O que seria eficiência? 200 alunos em 1 sala de aula com 1 professor? Temos muitos pontos para discutir aí....
  • Em seguida ele tenta fazer um alarme sobre o número de alunos com atraso de escolaridade. Mas faltou ele diferenciar alunos que entram na escola já com uma idade avançada, alunos que eventualmente param de estudar (para trabalhar por exemplo) e retornam mais a frente e os que efetivamente estão atrasados por reprovação.
  • Em seguida ele se contradiz, fala que se o critério para reprovação fosse a aprendizagem ela deveria ser muito maior, mas termina dizendo que a aprovação automática é o ideal... Ou seja, bom é passar o aluno mesmo que ele nada aprenda? Interessante que essa ideia da aprovação automática é sempre empurrada goela abaixo das escolas "para pobres" (públicas ou particulares) enquanto as tradicionalíssimas escolas "para ricos" estão querendo mais é reprovar e continuar sendo uma escola de referência. Para os pobres pode ser de qualquer jeito e para os ricos não?
  • O escritor fala de reprovação em massa... Creio que ele nunca tenha sido professor na rede pública... Sofremos pressões diárias sobre as notas dos alunos, professor que dá nota baixa é logo taxado de incompetente e sofre todo o tipo de represálias e pressões... Só um louco/chato como eu é que insiste em reprovar algum aluno. Em algumas redes a reprovação do aluno pode impedir o professor de ter acesso a certos benefícios e em outras se o aluno nunca foi em nenhuma aula de todas as disciplinas e resolver aparecer só em 1 (ex.: Educação Física) e passar nela ele vai passar de ano em tudo... Em Queimados-RJ por exemplo é proibido dar 0 para um aluno, mesmo que ele nunca tenha aparecido na aula.... O texto só está defendendo os interesses de nossos políticos de ficarem bem nas estatísticas sobre educação e deixar o povo a instrução adequada.
  • Ele levanta o argumento de que bons alunos tendem a melhoras os piores alunos, mas esquece que o inverso também é muito observado...
  • Por fim ele continua usando argumentos para defender que se coloque o professor como refém e que o importante é sair aprovando os alunos indiscriminadamente para evitar a evasão. Pena que isso gera uma evasão de espírito onde o aluno vai para a escola determinado a não participar daquilo já que de qualquer forma ele será aprovado. Além de reforçarmos a cultura da impunidade que é um mal tão grande em nossa sociedade.




Mas relaxe, temos outras pessoas prestando serviço para os nossos políticos, descompromissados com uma educação de qualidade para o povo, e um desserviço para a educação em geral. Esse blog merece nota zero por tudo que posta, mas vou destacar o quanto ele deseja formar pessoas inconsequentes:
http://professornotazero.blogspot.com.br/

Mas a luta continua contra aqueles que insistem em querer o pior para o nosso povo mais sofrido. Continuaremos lutando contra esse abuso da aprovação automática, contra




*Postagens relevantes:
http://professormoroni.blogspot.com.br/2013/09/desabafo-conscientizador.html

http://professormoroni.blogspot.com.br/2013/09/jonas-os-professores-e-uma-outra-evasao.html

Uma Ré Pública...

on sábado, 16 de novembro de 2013
Normalmente nos causa revolta as comemorações do golpe de 1964 realizadas anualmente pelo Clube Militar, com participação de eminentes fascistas como Bolsonaro e outros do mesmo (baixo) nível... Entretanto, embora não seja monarquista, me causa uma certa revolta a comemoração do golpe militar de 1889 e que quase não enfrenta oposição...

Nossa república tem muito pouco de res pública (coisa pública) e muito de ré pública. Nossa golpista república surgiu da combater a inserção social e nada teve a ver com as repúblicas surgidas da mobilização popular como na França, Estados Unidos e Espanha (antes do franquismo). Ironicamente a monarquia brasileira respondia mais aos anseios do povo do que a desgraçada república velha. Só depois de Getúlio Vargas é que veremos alguma participação popular ainda engatinhar na república (muitas vezes uma participação submissa como era no getulismo).

Que república queremos? A velha república golpista? A república covarde fruto da anistia dada gentilmente pelos torturadores para os torturados e para si próprios? Creio que não... Creio que não queremos essa república tão pouco republicana, que se importa tão pouco com a coisa pública, uma república nem um pouco virtuosa (para lembrar dos princípios de moralidade na gestão pública ensinados pelos jacobinos) e de baixa participação popular (se formos comparar com a república espanhola derrubada pelo franquismo).

As semelhanças entre os golpes militares de 1899 e 1964

Precisamos de uma nova república*, que entenda que nada tem para comemorar no passado republicano brasileiro, mas que visando efetivamente a mobilização e participação democrática da sociedade consiga escrever uma nova história republicana. Até o surgimento dessa nova república nada temos pra comemorar, e quando ela surgir em nada comemoraremos a república passada.

Creio que as palavras de Roberto Amaral sobre o Estado sejam muito úteis em nosso ideal de uma nova república:

"A democratização da sociedade começa com a democratização do Estado, revertendo sua vocação antipovo e autoritária, isto é, rompendo com a persistente dicotomia entre Casa Grande e Senzala, senhor e servidor, sujeito e objeto, possuidor e possuído.  Democratizar o Estado é também pô-lo para funcionar. Nossas elites pervertidas clamam pelo ‘Estado mínimo’ porque  sua inação só prejudica aos pobres   aqueles  que efetivamente precisam de transporte público de massa eficiente e gratuito (que  as elites não reclamam por disporem  do transporte individual), da escola pública universal e de qualidade (de que não carece a classe média, servida pela escola privada), que requer professores bem preparados e bem pagos, do serviço universal e eficiente de saúde no seu sentido mais amplo, o que requer mais médicos e médicos bem preparados e bem pagos, do saneamento básico que não chega nem à periferia nem aos bairros populares, de segurança pública e de polícia cidadã. Um Estado desburocratizado, um serviço público democrático, significam a transição do Estado-snowden, ou orwellliano, para o Estado democrático-participativo, indutor do desenvolvimento. Um Estado transitando permanentemente da democracia representativa para a democracia participativa.  Esse é o Estado que almejamos, o Estado possível mesmo nas circunstâncias atuais." Roberto Amaral em http://www.cartacapital.com.br/politica/dos-fins-do-estado-de-socialismo-e-socialdemocracia-8927.html

* Ou que seja uma monarquia, mesmo não sendo monarquista admito que em alguns países como a Inglaterra e a Suécia a monarquia representou melhor os anseios democráticos da nação (na Espanha ocorreu justamente o oposto), afinal é bem mais valiosa uma monarquia republicana do que uma república esvaziada do verdadeiro espírito republicano.

Julia Colle (Ludscher)

on segunda-feira, 11 de novembro de 2013
Após um fim de semana que dediquei a reflexão sobre o real sentido do martírio, (em função das bizarras comemorações de falsos mártires pró-fascistas) acabei de receber a triste e revoltante notícia de que a ativista Julia Colle ou Julia Ludscher, que participou dos atos contra o Instituto Royal misteriosa e repentinamente foi suicidada... Não, eu não errei na escrita, de fato o suposto suicídio da ativista foi tão bizarramente mal explicado que chega a ofender a nossa inteligência... De antemão aviso que não conhecia pessoalmente a ativista e logo tudo que vou falar aqui é por pura lógica e investigação. Informo também que detesto teorias da conspiração, mas não gosto quando querem me fazer de idiota tão descaradamente.

A tática de suicidar, ou seja forjar um suicídio, de um inimigo político é algo bem antigo e que o Brasil já conhece muito bem... "Acidentes" ou "Suicídios" são sempre ótimos pretextos e que as pessoas inocentemente engolem muito bem, mesmo que as circunstâncias sejam completamente absurdas (vale até dizer que alguém se enforcou em uma altura menor que a própria pessoa).
Qualquer semelhança com o caso de Vladimir Herzog não é mera coincidência...
Ok, mas e aí? Bem... Alguém já ouviu falar de suicídio quando se está empolgado e sem nenhuma demonstração de tristeza, desanimo ou algo assim? Se houver algum caso assim na história ele é no mínimo raro... Agora imaginem uma bela, jovem e idealista menina que acabou de realizar um dos seus grandes objetivos (fechar o Instituto Royal). Esta mesma menina, tanto segundo pessoas próximas a ela quanto pelo que podemos observar no Facebook da mesma, se mostrava bem animada com a ideia de "mudar o mundo" e com os próximos passos para continuar na defesa da VIDA! Aliás, algumas dessas publicações foram postadas pouco tempo (no máximo algumas horas) do mesmo dia em que ela foi encontrada morta.

Aliás, as informações divulgadas por vizinhos, ativistas e amigos (na internet) nos dão ciência de que ela não estava sozinha na hora do ocorrido e que nem a mãe dela estaria podendo ter acesso ao local do crime...

Para deixar as coisas ainda mais suspeitas, a menina já vinha sofrendo perseguição e teve que até mudar de conta no Facebook para uma mais discreta que ajudasse a não ser identificada...

Está bom? Precisa de mais?

Rapidamente foi dito que ela havia se matado por enforcamento, coisa que levantou suspeita geral já que nem a mãe teve acesso ao local do crime, mas ninguém sabe a fonte de onde partiu isso e pior ainda como se espalhou tanto e tão rápido se até a notícia sobre a morte (sem dados) ainda demorou... Não foram poucas as suspeitas levantadas de que já estava tudo pronto para divulgar um suicídio antes mesmo da notícia da morte misteriosa chegar aos demais...

Lembrando, que tudo isso ocorreu "coincidentemente" logo após as ações desta menina causarem prejuízos para alguns poderosos grupos econômicos...

Infelizmente fica difícil contar com a atuação policial neste caso dado o forte poderio econômico, travestido de interesses científicos, que deseja silenciar todos os que ousam se levantar contra a barbárie estabelecida. O mais provável é que a polícia vá nos empurrar uma versão tão bizarra quanto a que foi vendida no caso Pesseghini onde uma super-criança, que sabia dirigir habilidosamente, mata sozinha uma família inteira que tinha 2 policiais especializados e que curiosamente vinham sendo ameaçados por denunciar os policiais corruptos...



Julia Colle, mártir da libertação animal, descanse na paz do Senhor e que o teu exemplo esteja sempre vivo em nossas mentes nos motivando ainda mais na luta.

A guerra civil não acabou! A luta entre os mártires de Deus e do Diabo...

on sábado, 9 de novembro de 2013
Por incrível que pareça a Guerra Civil Espanhola não acabou. De fato a Espanha ainda é o último reduto do nazi-fascismo que sobreviveu a 2ª Guerra Mundial, pois a monarquia presente hoje é nada mais que fruto do sanguinário franquismo e que acomodou atualmente até setores socialistas/socialdemocratas.

A Espanha que teve a mais bela história, a das brigadas internacionais, onde voluntários de todo o mundo e das mais diferentes correntes de pensamento (liberais, socialistas, anarquistas, comunistas, ...) foram voluntariamente sacrificar suas vidas em defesa da liberdade do povo espanhol e contra o franquismo. Uma história linda por vermos a solidariedade internacional entre os povos, mas triste por vermos o quanto todos os governos do mundo se calaram diante do que ocorreu na Espanha e a URSS que "ajudava" os republicanos por vezes atrapalhou mais do que ajudou (os comunistas ligados a URSS por vezes enfrentavam o próprio exército republicano, socialistas e anarquistas pois havia um temor da parte de Stalin de que a houvesse uma Revolução Social na Espanha e que o mundo ocidental com medo se voltasse contra a URSS por isso). Franco não teve apoio dos cidadãos do mundo, mas teve apoio dos governos nazi-fascistas como o III Reich.


Infelizmente muitos religiosos se alinharam aos conservadores e em um ato lamentável ainda hoje ainda falta uma certa autocrítica dentro do catolicismo. De forma lamentável já faz algum tempo que um papa beatificou alguns católicos mortos pelos republicanos, sob a alegação de que eles foram mortos em uma perseguição religiosa e não política. Infelizmente ele só fez isso com os católicos fascistas e não com os clérigos bascos que foram perseguidos pelos fascistas e nem com os vários outros que também sofreram nas mãos dos fascistas. Não se fala da perseguição que Franco fez contra os anglicanos espanhóis (Igreja Episcopal Reformada Espanhola), contra os testemunhas de jeová e outros.

Não considero impossível que, graças ao forte conservadorismo do clero espanhol, algum clérigo inocente possa ter sido confundido com um fascista e morto no meio por engano. Mas essa beatificação que coloca como mártires da fé alguns católicos que morreram por defenderem o fascismo e ignora os que lutaram por democracia ou até os demais religiosos perseguidos pelo franquismo é bem complicada, para não dizer política.




Infelizmente no Rio de Janeiro, a Paróquia de Santo Afonso na Tijuca, me chocou ao colocar um cartaz dos "mártires redentoristas" que foram mortos pelas tropas republicanas e pior ainda que resolveram comemorar estes, os mártires do fascismo que acabaram dando suporte ideológico ao regime de opressão franquista.

http://missionariosleigosrj.blogspot.com.br/2013/11/martires-espanhois.html

Aliás, eles não estão sozinhos em um tão bizarro apoio:

http://martiresdeespanha.blogspot.com.br/


Crianças que são verdadeiras mártires espanholas! Mortas pelos fascistas!
Longe de mim querer fazer qualquer campanha anti-cristã ou mesmo anti-católica, de anti-cristão já basta o fascismo que fere tudo o que Cristo ensinou, afinal muitos cristãos (católicos ou não) lutaram até o fim contra o nazi-fascismo vide Frei Maximiliano Kolbe (católico), pr. Dietrich Bonhoeffer (luterano), rev. Atilano Coco Martín (anglicano), ...

Fascistas como sempre usando da tática da infiltração.
Qualquer semelhança com o ocorrido nos protestos recentes no Brasil não é mera coincidência.
Oremos para que o nome de Deus pare de ser usado de forma blasfema para defender diretamente ou indiretamente tiranos e para atacar fiéis lutadores das causas do povo. Que parem de usar a desculpa de não se importar com a ideologia já que apenas reconhecem os mortos do lado fascista e não os mortos do lado republicano. Que parem de usar a histeria anti-comunista para se justificar pois o exército republicano era composto até por liberais, socialdemocratas e outros e não apenas por comunistas.


Fica aqui minha homenagem aos que ousaram sonhar com um mundo melhor e lutaram pela liberdade até de um povo estrangeiro. Minha homenagem especial ao rev. Atilano Coco (socialista, maçom e clérigo anglicano) bem como os demais cristãos que foram verdadeiros mártires de Deus ao padecerem na luta contra o diabólico fascismo, minha homenagem especial também aos membros das Brigadas Internacionais que abandonaram seus lares e suas pátrias para tentar poupar o povo espanhol do trágico franquismo.










A farra das panelas acadêmicas com o dinheiro público

on quarta-feira, 6 de novembro de 2013
Existe um assunto que muitos ficam irritados mas quase ninguém tem coragem de denunciar pois ou se beneficia da situação ou tem receio de que vá ser prejudicado por isso. Sei que serei fortemente prejudicado em função de minhas críticas, porém como a carreira acadêmica não está dentro dos meus planos atuais já que eu acredito e gosto muito do magistério na educação básica, sou uma pessoa naturalmente pragmática e ainda tenho que me dedicar aos projetos sociais, igreja, política entre outras coisas que estão fora deste pequeno mundinho e permitem que eu possa bater de frente contra o que está aí sem maiores prejuízos.

Antes que alguém possa levantar argumentos banais do tipo: "ah mas está reclamando por não se beneficiar", "está reclamando por não ser competente", "está reclamando por isso ou aquilo". Deixo claro que eu até hoje só fiz uma única seleção para mestrado em universidade pública e mesmo assim para ver para ver com meus próprios olhos tudo o que eu já ouvi falar e analisei nos editais. Mas para evitar dúvidas sobre o que estou falando vou tentar documentar e fundamentar o máximo cada coisa e principalmente demonstrar outras críticas imparciais para mostrar que é algo que todos sabem mas poucos tem a coragem de dizer.

Vamos lá,

Em geral processos seletivos para mestrados e doutorados nas universidades públicas do Brasil são EXTREMAMENTE subjetivistas e nem um pouco objetivos (Já li alguns textos na internet de críticas a subjetividade também dos concursos para professores de universidades, mas como não pesquisei adequadamente esta área eu não irei entrar em detalhes). Por mais cara de "imparcial" que o processo tenha é tudo muito facilmente manipulável.

Vou tomar como exemplo o processo seletivo do Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) que considero o mais falho de TODOS os que tive oportunidade de analisar os editais e também por eu ter feito o mesmo e visto de perto como funciona.

Tudo já começa de forma extremamente discriminatória por um dos requisitos para a INSCRIÇÃO NO PROCESSO SELETIVO ser uma carta de recomendação de um dos professores do Programa de Pós-Graduação (PPGEO). Ou seja, se eu não tiver nenhum professor que simpatize com minha inscrição nada pode ser feito e azar de quem é de outra cidade ou não tem conhecidos na UERJ.

Pode ser verificado no Edital:
http://www.ppgeo.igeog.uerj.br/downloads/selecao/seleaoeditalmet2014.pdf

Aí já vemos também o problema dos números de vagas oscilantes de acordo com a vontade de cada professor e motivações desconhecidas. Não há uma seleção como nos cursos de graduação com um número objetivamente definido e que serão preenchidos independente da vontade do professor querer ou não.

Quando o processo efetivamente começa já encontramos 2 problemas:

  • As provas que são extremamente manipuláveis pois são montadas pelos próprios professores da instituição o que permite que tranquilamente alguém possa saber previamente o que estará na prova. Para a lisura do processo seria necessário que uma organizadora de concursos de outro lugar fosse contratada para o processo seletivo. (Exemplo: CEPERJ, CESPE, ...) Aliás, curiosamente no Edital para a turma de 2014 vinha uma bibliografia geral e específica e não havia nada relacionado com a bibliografia geral como se poderia esperar e que no Edital constava até como um dos critérios de desempate.
  • A UERJ está trabalhando com leitura pública da prova, algo que é EXTREMAMENTE SUBJETIVA A ANÁLISE e que infelizmente pude ver pessoas que não foram lá tão bem assim neste quesito sendo aprovadas em detrimento de outras que foram muito melhores.

Avaliações subjetivas como entrevistas, análise de anteprojeto, provas de aula entre outros são extremamente nocivas para a lisura de qualquer processo seletivo para um órgão PÚBLICO.

Agora reflita: Quantos bolsistas não são aprovados nestes processos? Quantos que tentaram na cara e na coragem foram? Quantas vezes você já ouviu nos corredores de alguma universidade que o professor X ou Y iriam abrir um número de vagas que contemplasse seus pupilos? Quantas vezes vemos pessoas cursando mestrado e doutorado com pouco ou nenhum interesse e apenas o fazendo por serem "peixes" de alguém?

Para piorar tudo as práticas acadêmicas de panelismo total influencia na própria produção acadêmica que hoje é extremamente conservadora, repetitiva e gira em torno do marketing de alguns:

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,darwin-e-a-pratica-da-salami-science-,1026037,0.htm

Infelizmente, quem paga tudo isso é o povão sofrido que talvez nunca nem entre nas elitizadas universidade públicas e que é quase certo que não terá a mínima chance de entrar num processo desses. Precisamos de uma legislação que proíba tais tipo de abuso e que torne os processos seletivos rigorosamente objetivos e democráticos como hoje ocorre em boa parte dos concursos para o serviço público.

O MEIO ACADÊMICO NÃO É IMPARCIAL! NÃO É DE SE ESTRANHAR QUE CERTAS LINHAS DE PENSAMENTO SE PERPETUEM AD AETERNUM.


O meio acadêmico é um forte reprodutor das piores práticas do meio político.

Esqueceram de uma outra Esquerda

on domingo, 3 de novembro de 2013
Durante muito tempo 3 principais grupos dominaram a esquerda:
  • Os anarquistas
  • Os marxistas
  • Os social-democratas / Socialismo Democrático
O anarquismo, que dominou o movimento operário por um bom tempo, ficou enfraquecido com as (até então) vitoriosas revoluções marxistas e o posterior avanço dos social-democratas no poder. Mas com o fim do socialismo marxista em alguns países (seja o fim total ou parcial através de reformas econômicas fortes) e a traição/degeneração de alguns outros partidos socialistas/social-democratas em governos de esquerda ao redor do mundo (exemplo: O PSDB no Brasil que como o nome diz tem origem social-democrata, o próprio PT com sua política repleta de fisiologismo e branda com a corrupção), a esquerda começou a ter uma crise de identidade e de soluções.

A solução seria ir para a direita? Seria criar uma nova esquerda? Engolir os erros da esquerda tradicional como um mal necessário? No meu entender a resposta será NÃO. Não acho que seja necessária uma NOVA esquerda, mas sim uma NOVA POLÍTICA e que algumas corrente de esquerda do passado podem nos ajudar muito com isso:

O socialismo pré-marxista
(vulgarmente conhecido como utópico ou romântico)

Não gosto de chamar esta corrente de socialista utópica por 2 motivos:
1) Este termo utópico foi uma tentativa marxista de subestimar o pensamento socialista desses autores e afirmar que o marxismo seria o socialismo "científico".

2) Este termo da a entender que havia uma coesão de pensamentos, algo como um socialismo utópico organizado. Na realidade o socialismo pré-marxista nada mais é do que os diversos pensadores e suas ideais que queriam fazer algo para mudar aquela sociedade capitalista industrial e melhorar a qualidade de vida de todos.

O socialismo pré-marxista embora muito injustiçado e esquecido legou grandes lições para a esquerda (especialmente ao anarquismo já que Proudhon pode ser considerado ao mesmo tempo um anarquista e um socialista pré-marxista e no meu entender o socialismo democrático retoma muito do espírito pré-marxista), até a filosofia do "Faça você mesmo" presente no movimento punk tem fortes ligações com características desta corrente socialista. Alguns pontos podem ser encontrados em comum nos diversos autores:
  • Socialismo pelas bases no cotidiano: Em geral eles entendiam que o socialismo seria alcançado através de atitudes diárias e nem sempre por uma regulamentação do Estado (social-democracia) ou uma revolução social (anarquistas e marxistas). Todos nós podemos começar a agir de forma socialista, criar espaços/comunidades/organizações que vivam de uma forma socialista e começar a levar o socialismo para as relações pessoais. Exemplo: Se eu sou dono de uma padaria e sou socialista devo melhorar ao máximo as condições de vida dos meus trabalhadores e garantir a melhor qualidade e preço para meu cliente.
  • Apoio Mútuo: A solidariedade operária é vital. Os mais fortes/inteligentes/capacitados (ou até ricos) na sociedade devem se dedicar ao máximo para elevar a condição dos que não tiveram os mesmos dons ou oportunidades. As dores de qualquer pessoa devem ser tomadas também como minhas. Uma vida de SERVIÇO ao próximo é necessária.
  • Socialismo e Liberdade não podem ser separados um do outro.


Os Jacobinos

O partido jacobino era a esquerda da revolução francesa e podemos dizer que a inspiração original para o socialismo. Difamado pela direita e desprezado pela esquerda atual, os Jacobinos nos trazem muitas lições com seu lema de "Liberdade, Igualdade, Fraternidade ou a morte":
  • A República tem como base as virtudes! Um povo sem virtudes sempre correrá para a tirania. Uma vida correta e justa é imprescindível para um bom republicano.
  • Fidelidade aos ideais e moralidade no trato com a coisa pública. Robespierre foi chamado de "O Incorruptível" não foi atoa, mesmo sendo governante da França com plenos poderes viveu uma vida modesta e caminhando no meio do povo. A firmeza de Robespierre aos ideais de uma sociedade democrática, fraterna e igualitária o fez entrar em conflitos com o corrupto Danton (membro de seu próprio partido), essa mesma firmeza o conduziu até a morte.
  • Abolição da escravatura e direitos civis para os Negros: Foi também no governo jacobino que pela primeira vez os negros de uma colônia (Haiti) ganharam direitos civis.(Napoleão é quem vai tentar voltar ao antigo regime no Haiti, não é atoa que Robespierre ainda é uma figura heroica para o povo haitiano). O governo jacobino também libertou os escravos e fez com que os outros países do mundo (inclusive o liberal e republicano Estados Unidos da América) ficassem ainda mais chocados com as medidas populares jacobinistas.
  • Direitos Humanos. Os Direitos Humanos que conhecemos hoje tem forte influência da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Apesar do chamado regime do "terror", Robespierre era contra a pena de morte e abominava as torturas, de fato a pena de morte foi defendida por alguns aliados dele e até inimigos e ele vai aceitar ela a contragosto apenas em função da terrível situação que a França enfrentava ao ser atacada por tudo e todos. Obs.: Não estou defendendo o "terror" ou negando os excessos, mas convenhamos que a situação é bem mais complexa para um país solitário que acaba de passar por uma reviravolta total e é atacado por tudo e todos com risco de se tornar vassalo de outro país.
  • Igualitarismo. Uma das atitudes tomadas pelos jacobinos foi abolir as diferenciações entre pessoas. Não existiam mais marquês disto ou daquilo, todos agora eram cidadãos em plena igualdade de direitos e deveres.
  • Internacionalismo. Os problemas dos outros povos preocupavam os revolucionários franceses que entendiam que é necessário ajudar os demais povos em sua libertação.
Toussaint Louverture, líder da independência do Haiti liderou os jacobinos negros.

O mito da incorruptibilidade institucional

on quarta-feira, 30 de outubro de 2013
Vivemos em um momento de fortes questionamentos contra as instituições (políticas, religiosas, ...) e vou dizer que boa parte deste questionamento está ligado a crença das pessoas de que as instituições são organizações imortais e incorruptíveis. Os membros das instituições se acham membros da elite mais perfeita dos mais santos dos eleitos e acabam não aceitando críticas e quando vem a realidade a tendência natural é largar tudo e se desiludir do mundo.

As pessoas não entendem que as pessoas e as instituições tem seu tempo de vida e embora sejam importantes em dado momento histórico se tornam completamente irrelevantes em outro, e aí entra a crise de largar o barco que tanto lutamos para construir e começar outro novo ou até praticamente transformar o nosso totalmente.

Robespierre, o Incorruptível
Não estou dizendo que as pessoas/instituições não devam permanecer firmes em seus ideais, mas é inevitável que haja contradição em algum momento ou que aquela instituição não atenda mais aos seus propósitos originais. Um bom exemplo disso é o PMDB, que foi importante na época do regime militar por ser a única forma de oposição, mas que hoje não passa de um amontoado de pessoas sem nenhuma ideologia ou projeto em comum e que estão juntas apenas no poder pelo poder (até reproduzindo práticas da ditadura).

Contradições? Elas são inevitáveis até por serem subjetivas... Quase sempre quem é acusado de contradição tem uma justificativa pessoal para tal e não se sente como contraditório. Exemplo: Para muitas pessoas ser vegetariano e abolicionista animal e ao mesmo tempo ser pró-aborto é contraditório pois fere o princípio de sacralidade da vida. "A igreja é santa e pecadora" já dizia uma frase bem popular e que nos relembra, que por mais perfeitos que sejam nosso ideais, a humanidade que compõe as instituições sempre pode falhar.

Mas então devemos continuar no barco que afunda? Se vermos que há uma alternativa melhor e/ou o barco dificilmente não afundará, aí acho que vale a pena largar o barco senão é melhor continuar e tentar mudar por dentro. As instituições tem prazo de validade e em algum momento vão morrer ou vão ao menos se degenerar totalmente, no entanto várias situações podem fazer uma instituição retomar os rumos originais como é o caso do PSB-RJ já que, com a saída do grupo que estava degenerado e chegada dos membros da REDE, houve uma verdadeira revolução interna com um realinhamento do partido.

Aliás só tenho visto 3 partidos terem em mente a ideia de que eles são imperfeitos, podem ter contradições, mas ainda sim são importantes e/ou necessários: PSB, PSOL e REDE.

Devemos abrir mão de nossas ilusões e entender que as instituições sempre devem ser criticadas e principalmente se criticar para que possamos estar sempre nos aperfeiçoando. Já dizia uma célebre frase da Reforma Protestante: "Ecclesia reformata et semper reformanda est" (a igreja reformada está sempre se reformando) e assim devem ser as instituições, especialmente as de cunho "progressista", sempre fugir da degeneração e se atualizar diante da realidade.

Vale lembrar que ainda assim devemos nos manter firmes em nossos ideais, tal como um Robespierre, mas sabendo que podemos cair e que se cair devemos levantar e reparar nossos erros para que sigamos em frente fiéis aos nossos propósitos originais. Não tenhamos medo também de inovar, nem tudo que serviu antes servirá hoje e nem tudo que serve hoje servirá amanhã, mas sempre devemos nos preocupar com a essência.